Entregabilidade de e-mail é algo bem complicado. É difícil para varejistas colocarem suas campanhas dentro da Caixa de Entrada dos seus clientes. É difícil para os Provedores de E-mail deixarem a Caixa de Entrada de seus usuários segura. É difícil para os clientes gerenciar todas as suas mensagens. Entregabilidade é complicado.

De tempos em tempos, ouvimos o pessoal de marketing expressar suas frustrações com os provedores de e-mail quando percebem que suas campanhas estão sendo jogadas na pasta de spam, ou são bloqueadas por completo. “Eles não conhecem minha marca?” “Porque estão me marcando como spam?” “Não dá pra ligar pra alguém e apenas dizer que meus e-mail estão OK?”

Como profissionais de marketing, entendemos a perspectiva deles e o impacto real das campanhas nas empresas, que nunca chegam à caixa de entrada. Também entendemos os desafios que os provedores de e-mail enfrentam ao classificar e filtrar mensagens.

225 bilhões de e-mails são enviados por dia para quase 5 bilhões de endereços de e-mail. Os provedores de e-mail têm a difícil tarefa diária de classificar centenas de bilhões de mensagens e determinar quais são legítimas, quais são maliciosas e quais são spam. Em 2016, 65% do volume de e-mails foram atribuídos a spam, o maior dos últimos cinco anos. Esse enorme volume de e-mails indesejados é apenas uma das razões para os provedores de e-mail serem céticos em relação às mensagens recebidas.

O cenário está em constante evolução, mas há práticas comuns que complicam o processo e tornam quase impossível separar o spammer do varejista. Você consegue determinar qual remetente é legítimo nesses três cenários?

Cenário 1: O Rapidão

  • Remetente: Um Varejjista Muito Conhecido
  • Assunto: Você está convidado
  • Atividade do IP: Nenhum histórico recente, 1 milhão de mensagens enviadas hoje, alto número de contatos inexistentes
  • Conteúdo da Mensagem: Apenas imagens, com um endereço no rodapé
  • Problema: Este é um IP novo, sem histórico de envios. O conteúdo baseado unicamente em imagens não pode ser facilmente escaneado para determinar o nível de risco desta mensagem. Este é um Varejista ou um Spammer?

Cenário 2: O Fulano de Tal

  • Remetente: Um Outro Varejjista Muito Conhecido
  • Assunto: Compre um e leve outro com 50% de desconto!
  • Atividade do IP: Sender score de 80, volume de e-mail regular entre 500.000 e 4.000.000 de mensagens nas últimas semanas, alto nível de reclamações.
  • Conteúdo da Mensagem: Algumas imagens e texto
  • Problema: O histórico desse remetente inclui grandes intervalos de volume e um grande número de reclamações dos inscritos. Os cabeçalhos de conteúdo não incluem uma assinatura DKIM, portanto, o remetente não pode ser validado. Este é um Varejista ou um Spammer?

Cenário 3: O Aleatório

  • Remetente: Um Varejjista Muito Conhecido
  • Assunto: Cliente cadastrado tem 20% de desconto! APENAS HOJE
  • Atividade do IP: Sender score de 85, última campanha de 200.000 enviada a duas semanas, 1.500.000 mensagens enviadas hoje
  • Conteúdo da Mensagem: Algumas imagens e texto; texto contém palavreado relacionado à indústria farmacêutica
  • Problema: Este remetente tem histórico de envio inconsistente. O conteúdo relacionado a farmacêuticos pode ou não indicar uma mensagem de spam. Este é um Varejista ou um Spammer?

Você conseguiu identificar o spammer entre os varejistas? É bem provável que não, porque todos os três cenários descrevem campanhas recentes enviadas por varejistas legítimos.

Surpreso?

Então agora pense um pouco em suas próprias campanhas. Como as suas mensagens pareceriam se nós fizéssemos o mesmo teste anônimo com elas? Para evitar se parecer como um spammer, revise seus padrões de envio procurando fatores de risco, e considere estas dicas:

  1. Não mude de IP ou de plataforma de marketing com frequência. Permanecer no mesmo lugar é um fator importante em sua reputação, pois os spammers costumam ficar mudando de endereço IP para evitar serem detectados. Se você mudar para um novo fornecedor ou endereço IP, aumente lentamente o seu volume de envios a fim de estabelecer uma reputação sólida, e só aí faça seus envios como antes.
  2. Faça envios consistentes. Revise seus padrões de envio e ajuste seu calendário de campanhas para evitar lacunas no envio (como dias / semanas sem campanhas), e grandes picos de volume. Um volume estável e previsível reduz o risco de as suas campanhas serem filtradas ou bloqueadas.
  3. Autentique seus e-mails. Os provedores de e-mail usam DKIM, SPF, e DMARC como forma de validar a identidade de um remetente e o processo de triagem. Atualizar seus cabeçalhos de mensagens para incluir essas informações, ou usar uma plataforma que faça isso pra você, é um passo simples, mas importantíssimo, para evitar problemas com suas mensagens.
  4. Gerencie suas métricas. Acompanhe suas métricas de desempenho para observar picos de usuários desconhecidos, reclamações e spam traps. Remova os contatos com problema imediatamente para evitar problemas.

Como podemos te ajudar?

O marketing por e-mail é uma ferramenta poderosa e que tem o grande potencial de aproximar sua empresa de seus potenciais clientes. E nós do Mailtop acreditamos que é essencial fazer isso da maneira correta, sem desperdiçar seu orçamento.

Precisa de ajuda com suas campanhas? Estamos em fase de desenvolvimento, mas queremos muto saber como podemos ajudar.

Este post apareceu originalmente no Total Retail.

Foto de capa de Pau Casals no Unsplash.